Pedra de Metal

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Vencedor do Passatempo Especial de Aniversário


Finalmente podemos anunciar o vencedor do passatempo especial de aniversário.
Diogo "Doug" Gomes é o feliz contemplado, sendo que venceu com o envio do texto que está colocado um pouco mais há frente.
Para ele os nossos parabéns :)
Brevemente existirá um novo passatempo com novos prémios estejam atentos, infelizmente não podemos fazer sempre que queremos (a crise aperta e o blog não tem fins lucrativos como sabem), mas fazemos sempre que pudemos :)

Para já aqui fica o texto vencedor:

"Um machado racha o escudo, o segundo golpe atravessa o peito, sangue esguicha e suja a armadura de malha do atacante. O guerreiro esboça um sorriso sádico enquanto o homem trespassado berra em agonia. Ao seu lado está um outro guerreiro, mais jovem e mais ágil embainhando uma espada, as feições de ambos denotam fortes semelhanças, lutam costas com costas e defendem‐se um ao outro, sincronizados como lobos de volta da presa.

A luta dura desde o nascer do sol e eram incontáveis os corpos sem vida que jaziam no chão, amigos, família, irmãos de armas mas sobretudo, inimigos. O vermelho banhava o campo de batalha. A batalha acabou, já o sol estava alto no céu. O cheiro a morte enchia as narinas dos que estavam em pé, cansados, feridos mas vencedores, ouviam‐se berros de vitória e armas eram erguidas em festejo. O filho vira‐se para o pai e encontra‐o apoiado no machado com um joelho no chão, rapidamente se baixa e vê sangue a escorrer pelas malhas da armadura, a respiração pesada e ofegante faz‐se ouvir entre os berros de vitória dos seus aliados e irmãos. O ferimento era grave, uma espada alheia havia sido traiçoeiramente cravada nas suas costas perfurando o abdómen; agarra no braço do pai e tenta levanta‐lo mas juntamente com o ferimento a idade e as batalhas de tantos anos pesavam, ao tentar levantar‐se com a ajuda do filho volta a cair e fica ajoelhado no chão, deixa cair o seu machado a seu lado, já não lhe resta muito tempo. Lentamente os dois vão ficando envoltos num círculo, todos os seus guerreiros os haviam rodeado, o pai solta o braço que o filho está a agarrar e alcança o seu pescoço, puxa uma corda velha e uma pedra surge. Envolve a pedra com a mão e tira o colar do pescoço lentamente, olha para cima para o filho e estica o braço.

‐ És tu o líder agora, segue com a linhagem, honra os teus antepassados e obedece às nove virtudes.

O círculo de guerreiros estava completo, todos em silêncio perante aquele cenário, o líder, chefe e irmão de armas em tantas batalhas, não iria sobreviver a mais uma. A sua última batalha havia acabado vitoriosamente e todos seguem o ritual de passagem da runa. O rapaz aceita o colar em silêncio e coloca‐o no pescoço e apoia‐se num joelho fazendo uma pequena vénia ao seu pai, era agora o líder da sua tribo.

O campo em torno dos dois fica iluminado e duas criaturas aladas descem dos céus, pousam ao lado do velho já sem forças e agarram‐no pelos braços, o filho afasta‐se em silêncio do seu pai e as valquírias levaram‐no para o seu último destino, Valhalla. Todos os guerreiros ergueram as armas uma última vez naquele dia e gritaram o último berro, a luz desaparece e todos os olhos descem e recaem sobre o jovem agora líder deles todos. Ele olhou em volta e um por um, todos eles se ajoelharam e baixaram a cabeça.

Aquela mesma pedra passou de geração em geração pelos tempos e a linhagem cresceu forte, corajosa, brutal e honrada até que caiu no esquecimento por muitos. Hoje poucos são os que sabem dessa pedra e poucos são os bravos dessa linhagem, são chamados de metaleiros e a pedra de metal pertence agora a todos que a querem seguir e vai permanecer enquanto quem a carrega siga o seu caminho com honra e orgulho."

2 comentários:

Douglas disse...

Obrigado pela escolha do meu texto e um grande abraço para o pessoal do blog.
Keep up with the good work ^^

Hails

Doug

Himura disse...

Fogo... adorei mesmo! mereceu bem ganhar!