Pedra de Metal

sexta-feira, 12 de março de 2010

ENTREVISTA - Thee Orakle

O Pedra de Metal chegou a conversa com a simpática Micaela Cardoso, a vocalista dos Thee Orakle. O álbum "Metaphortime" foi o tema principal da conversa, que deixa no ar que para breve poderá existir um novo trabalho.

Pedra de Metal - Como surgiram os Thee Orakle?
Micaela:
Os Thee Orakle surgiram depois de alguns dos nossos membros fundadores, que já tocavam à imenso tempo juntos, terem decidido tornar mais sério um novo projecto musical que teve então o nome de Thee Orakle... Foi no final de 2004, mas só em 2005 ficou completo o line-up da banda...eu fui a última!!:)

PDM - Quais os assuntos abordados no album "Metaphortime"?
Micaela:
Este álbum conceptual conta a estória de Johann, um viajante nórdico, que depois de conhecer a Alquimia busca interruptamente o Elixir da Vida ou seja a vida eterna...e consegue-o, só que entretanto acontecem vários incidentes e a sua vida eterna torna-se um fardo bastante forte e cruel! Abordamos temas como o carácter humano, o respeito pelo próximo...valores que a Alquimia defende!

PDM - Qual o tema, que mais destacarias neste álbum, ou melhor, aquele que é para ti o mais pessoal?
Micaela: Destacaria provavelmente o tema do amor platónico entre uma mortal e um imortal...como conta a música White Linen.

PMD - Aleister Crowley tem sido uma verdadeira fonte de inspiração em muitos projectos de underground. Existe algum escritor que serve de inspiração na composição lírica?
Micaela:
Hummm...não! Posso apenas falar por mim, e claro que com o Pedro penso acontecer o mesmo mas, no meu caso não existe nenhum escritor que possa influenciar-me na parte lírica das nossas letras...no caso do Metaphortime, fui eu quem escreveu a estória e de uma forma muito simples e directa cada capítulo está metaforicamente ou não transferido para as letras das músicas...não me considero uma escritora apenas tenho curiosidade por essa função na banda e gosto de criar atmosferas.

PDM - Como estão a correr os vossos concertos, muito publico, ou ainda existe muita gente que não vos conhece?
Micaela:
Os nossos concertos correram até agora bastante bem, é claro que ainda existe malta que nos vê e pouco ou nada conhece...mas mesmo ao lado desses estão pessoas que já cantam ou já reconhecem as músicas e já fazem headbang com total conhecimento das partes mais adequadas! Não se pode agradar a todos e isso não é algo que nos incomoda, pelo contrário! Só queremos que, quem gosta do nosso som, goste mesmo de acompanhar a banda e nos envie o feedback de como está a correr para nós trabalharmos para eles!

PDM - Metaphortime tem tido boa aceitação no mercado?
Micaela:
Muito boa;) Em termos de vendas, hoje em dia não se pode avaliar bem esse parâmetro... As coisas não resultam bem para nenhuma banda nem em nenhum estilo! Mas não podemos realmente queixar-nos!

PDM - Na musica “White Linen”, destaca-se em particular a tua voz melodica, será isso um ponto forte dos Thee Orakle, a melodia da voz feminina?
Micaela:
Upsss...(risos) essa pergunta é difícil de responder!! Já muitas pessoas se dirigiram a mim com essa ideia...pessoas que só escutam Thee Orakle porque gostam de me ouvir cantar...a maioria nem são "ouvintes" de metal...e isso é que me agrada, saber que o facto de eu cantar melodicamente chama mais gente "extra" metal a gostar da banda! Poderá ser um ponto forte nessa vertente...claro! A White Linen é uma música bonita, bem conseguida, com excelentes colaborações e um óptima produção!

PDM - Agora uma pergunta que já deves ter respondido muitas vezes, mas como é ser mulher no meio de tantos homens? :)
Micaela:
Hehehehe...por acaso até nem me fizeram essa pergunta muitas vezes, pelo menos em entrevistas! Mas é claro que eu sofro por vezes....(risos)...eles tratam-me super bem, são todos meus amigos, temos momentos hilariantes como temos pequenas discussões...independentemente de ser mulher ou homem...A banda tem 7 elementos..por acaso um é mulher...Ah!E outro é gigante!!!(risos)

PDM - Já existem ideias para um próximo trabalho?
Micaela:
Sim claro, já temos algumas faixas já feitas e outras a ser feitas...vai com calma, mas tb não assim tanta, nós gostamos de trabalhar bem e com algum sentido único...ideias a nível lírico, também já existem uns rascunhos e vai-se aprimorando com o evoluir de tudo.


PDM - Por fim uma mensagem para o pessoal que irá ler esta entrevista no "Pedra de Metal"
Micaela:
Antes de tudo, muito obrigada pela oportunidade de me exprimir pessoalmente na vossa Webzine que cada vez tem mais e mais qualidade;) Visitem esta Webzine, Pedra de Metal, com a frequência devida para se manterem actualizados!!;)\m/
Convido desde já a todos para se deslocarem a Lisboa, no dia 1 de Maio, para poderem assistir ao concerto dos israelitas Orphaned Land que terão como banda de suporte a nossa...os Thee Orakle!
Abraços metálicos e até breve!

2 comentários:

Douglas disse...

Gostei da entrevista, realmente uma banda nacional que vale a pena ouvir o albúm e ouvir ao vivo. Ouvi pela primeira vez no Nyktos bar e tive a chance de conhecer os membros e fiquei completamente estupefacto pela qualidade demonstrada por este grupo, voltei a ter a oportunidade de os ver no Vagos Open Air e com um PA decente foi algo brutal. Um aparte para o dono do Pedra de Metal, encontrei hoje o blog e tenho que passar por aqui e espreitar mais um bocado as entrevistas e isso.

Hails

Doug

Paulo Eiras disse...

Doug, obrigado e bem-vindo ao nosso espaço (que no fundo é de todos os que gostam de metal).

A nossa experiencia não é muita, mas por gosto fazemos o que pudemos.

Tentamos ter sempre o blog com novidades, review e entrevistas.

Grande Abraço,

Paulo Eiras