Pedra de Metal

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

"SONS DO SOTÃO" - MÃO MORTA


Mão Morta – Müller No Hotel Hessischer Hof

“O médico mostra-me o filme.
- É este o sítio, veja por si.
- Tu sabes agora onde Deus mora.
- Cinzas, o sonho de sete obras-primas...”

Faz hoje 13 anos que, com estas palavras, os Mão Morta a 6 de Janeiro de 1997, deram inicio ao espectáculo realizado no Centro Cultural de Belém. Dedicatória memorável à vida e obra de Heiner Müller (1929-1995) dramaturgo alemão, figura emblemática, polémica e destacada não só pelo teatro, mas também pela política. O que os Mão Morta mostraram não foi só um simples concerto, mas sim uma espécie de dramatização a textos e alguns poemas sobre a sua infância e a situação da Alemanha depois da Segunda Guerra Mundial, um espectáculo realizado, pode-se dizer, na corda bamba pois grande parte da base dos ambientes musicais eram suportadas por Midi e Cubase que estavam dependentes da fiabilização do Windows 95 que era muito pouca e sujeita a um bloqueio repentino.


Adolfo Luxúria Canibal, de corpo mumificado com umas asas rotas e desnudadas, dá entrada, no papel de anjo do desespero, num palco escuro povoado de manequins pálidos e desmembrados, revelou-se um verdadeiro actor e porta-voz do universo mutilado e mortuário de Heiner Müller, universo também muito idêntico ao que os próprios Mão Morta transmitem normalmente nos seus trabalhos. É aceitável dizer-se que mais nenhuma banda nacional faria algo tão bem feito, as ambiências mecânicas e bizarras comungam, na perfeição, com a frieza das guitarras e a beleza mórbida dos textos. Tudo isto foi o resultado de um trabalho suado, de muitas horas de ensaio, a encenação, cenografia e figurinos estiveram à responsabilidade de Mariana Otero e de Ana Rita que, em conjunto com os Mão Morta, demonstraram um grande profissionalismo e o resultado disso foi um trabalho bem conseguido e exigente em todos os pontos de vista, mas com um feedback muito positivo de tal forma que a sua apresentação não se ficou só por Lisboa, Évora(Teatro Garcia de Resende), Braga(Teatro Circo) e Coimbra(Teatro Académico Gil Vicente) também foram palco deste fantástico espectáculo.

O concerto foi gravado ao vivo e editado em CD pela NorteSul e em VHS no mesmo ano, mais tarde surge em DVD e editado pela Cobra. Dou os meus parabéns a quem possui qualquer um destes documentos musicais. Mas para quem não tem deixo-vos um pequeno excerto.

2 comentários:

ANGEL disse...

olá.
Adorei a review, esta excelente e muito profissional. Tem muita informação e cultura.
Parabéns.

Paulo Emperor disse...

Grande Bruno, regresso em grande do sons... Abraço