Pedra de Metal

terça-feira, 5 de maio de 2009

As Crónicas Da Pedra - Volume I

A minha primeira questão ao escrever a primeira crónica de pedra é:



O que escrever? Culinária? Consultório intimo? Obviamente que não.



“Heavy metal is the law”, gritou bem alto o nosso amigo Rob! Quantas vezes vezes nos damos a pensar no que nos leva a ouvir e viver o HEAVY METAL (enquanto estilo aglutinante, por isso, quando o escrevo desta maneira, estou a meter black, heavy, thrash, death, doom… whatever, METAL)?



Falam comigo e eu digo-vos que é provavelmente a avassaladora sensação de sentir um som maior que a vida a romper pelos meus ouvidos. Quando estou, seja onde for, e ouço algo que, mesmo que não conheça, a minha alma identifique como algo bem metálico, os meus ouvidos aguçam e todo o corpo pára para sentir aquela vibração bem forte que nos percorre desde a nuca até às pontas dos dedos, fazendo-nos cerrar os dedos, aquela vibração que nos faz soltar um esgar de felicidade, só possível quando o som sagrado nos afaga a alma!



Apesar da expressão variar consoante cada um, no fundo, acho que nos podemos sentir unos neste assunto! Todos nós nos alegramos, quando encontramos outros como nós (tirando algumas almas mais misantrópicas, que, apesar de tudo, merecem sempre o devido respeito – quantos de nós já não o fomos em algumas ocasiões?), pelo que posso extrapolar que todos nós reagimos similarmente ao som sagrado, uns mais efusivamente que outros.



Quando o meu amigo Paulo me pediu para escrever isto, acho que seria algo assim que ele teria em mente. Festejar o HEAVY METAL, festejar a nossa vida, pois somos metaleiros, alma e coração e muita ferrugem na veias!